Por que ser professor?

Muitas pessoas me perguntam porque eu quero ser professora. Porque não médica, advogada, veterinária, psicóloga, engenheira… Por que professor?

Essa pergunta é difícil de responder, afinal, se é preciso a pessoa fazer essa pergunta ela não irá entender os motivos, que são muitos!

O primeiro dos motivos, e o principal, é: Professor é profissão como qualquer outra! Isso mesmo, assim como médico trabalha e recebe dinheiro por isso, nós professores também. Claro que os valores são bem diferentes mas a questão não é essa. O que acontece é que muitas vezes a sociedade não nos vê como profissionais, ainda alimentam a ideia de “professor por amor”, gente, nós temos contas pra pagar também!

Outro motivo é o meu desejo de fazer a diferença. E eu sei que pra fazer diferença no mundo, não precisa eu conseguir a paz mundial, eu posso fazer a diferença com atos menores, que irão mudar a vida de alguém, mesmo que um pouquinho. E é isso que os profissionais da educação fazem, auxiliam no desenvolvimento de seus alunos, os orientam a buscar pelo conhecimento, os preparam para viver em sociedade e para o futuro. É de dentro da minha sala de aula que sairão os futuros médicos, biólogos, dentistas, enfermeiros, cozinheiros, outros professores…

Mas quem diria, eu não sou médica mas posso estar formando um!

Um terceiro motivo, eu amo a dinâmica da sala de aula, a diversidade dos alunos, das conversas jovens, da bagunça e tentar organiza-la. É cansativo e desafiador, mas quando se chega nos resultados, a sensação de dever cumprido é realmente gratificante.

O fato é que a educação no nosso país tá desvalorizada, começando pelo trabalho docente, mas eu sei que eu posso ser a mudança. Enquanto eu conseguir fazer meu trabalho da melhor forma possível e conseguir reconhecer os frutos dele, não me deixarei desmotivar.

Pra finalizar, deixo aqui um texto enviado para o blog por um estudante de Licenciatura em Física, sobre ser professor:

“Porque eu quero ser professor

Porque eu gosto de ajudar as pessoas e acho que ensinar é uma boa forma de ajudar. Saber que você vai fazer parte da formação de muita gente e que você vai ser capaz de influenciar, diretamente ou indiretamente, algumas decisões importantes que seus alunos farão é uma responsabilidade muito grande. A sensação de ouvir de alguém, que antes odiava matemática, por exemplo, que só agora a pessoa percebeu o quão interessante e importante aquilo é na vida e que a pessoa só percebeu isso porque você “a fez gostar” daquilo, é algo que te faz querer continuar a ensinar. E ensinar é algo que não se restringe somente aos conteúdos abordados em escolas e/ou universidades ou em qualquer outra instituição de ensino. É algo que se estende para as coisas que você aprendeu na vida e da vida. Saber que você é capaz de conseguir mostrar o seu modo de ver e pensar para alguém de uma forma que nunca a foi apresentada, e saber o quanto essa pessoa aprecia o que você faz, é algo que te faz querer continuar ensinando. Ser professor não é sobre ter uma profissão. É sobre escolher um modo de viver onde a empatia faz parte do dia-a-dia. Porque nessa profissão, tudo que se faz é para os outros. E o que te faz querer continuar são as consequência disso” – Wiklyn Craveiro, estudante de Licenciatura em Física pela UFC.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s